26.º Encontro do grupo Os Barões da Sé de Viseu decorre a 6 de Maio

Realiza-se no dia 06 de maio de 2023 o Encontro de Os Barões da Sé de Viseu. Dois anos de ausências por causa da pandemia não esmoreceu o grupo que regressou no ano transato aos seus reencontros.

São 28 anos de existência.

Ano a ano, ali para os meios de maio e os meandros da Sé, ouve-se este onomatopaico tchim-tchim do brinde à amizade. São os Barões, senhoras e senhores. Os Barões da Sé!
Dia 6 de Maio, os Barões da Sé fazem jus àquilo que sempre os uniu: o local em que se tornaram homens, em torno das vicissitudes de uma Amizade de Vida. Durante o seu crescimento novas amizades se juntaram e partilham o mesmo sentimento.

Consta a lenda que nos inícios da década de 1980, quando um jornal da cidade chamou, em título, a um grupo de “adolescentes” da zona histórica da Sé de Viseu, por causa das suas “muitas tropelias”, de “Barões da Sé”. No sábado passado, esses adolescentes a quem o “Notícias de Viseu” atribuiu o estatuto de barões, por, entre outras “patifarias”, tomarem banho nus no Parque da Cidade, reúnem-se todos os anos num lauto jantar para recordar a nobreza dos tempos idos passados nas estreitas ruas do centro histórico.

Ali, na zona da Sé, que ainda hoje veem recortada num horizonte que assume os seus contornos com os olhos fechados. Ali, onde todos os anos se recuperam histórias partilhadas naquele território conquistado pela nascença.

Os Barões são dali. Serão sempre dali, ainda que a vida os tenha empurrado para longe. Mas voltam sempre. Ali, naquele berço de recordações revividas em cada novo manjar.

A Sé de Viseu foi algo que nós vivemos, usufruímos, comungámos, preservámos. E foi – e será – um cenário esplendoroso para todos nós quando nos abeirávamos das janelas das casas onde nascemos! E crescemos!! E onde somamos novos amigos ao longo da vida.

Sorrisos largos, abraços apertados, “bocas” que só eles entendem. Coisas que acontecem ali. Ano após ano. Uma amizade que celebra uma vida, numa vida que hoje tem pouco espaço para a Amizade. No fundo, uma Amizade celebrada por quem sabe o valor de ser amigo. E só aqueles que ali vão em romaria anual, sabem o significado que isso tem.

Um dia, quem sabe, possam os Barões explicar-vos como se jogava ao «piu-das-linhas». Naquelas linhas desenhadas a granito no chão do Adro e que inúmeras vezes foram pintadas com o sangue de um joelho esfolado.

Barões da Séhttps://www.facebook.com/baroes.seviseu