Guarda cria Rede Cultural e Criativa, num investimento de 600 mil euros


O Município da Guarda viu aprovada a sua candidatura ao Turismo de Portugal no âmbito do Programa Transformar Turismo, aviso específico do concurso “Regenerar e Valorizar Territórios – Incêndios 2022”. Esta candidatura visa investir na qualificação da Guarda como destino turístico, constituindo um quadro de referência e de relevante suporte para o desenvolvimento inteligente e sustentável do território do Concelho da Guarda, na sua vertente cultural e turística. Trata-se de uma iniciativa que prevê um investimento de cerca de 600 mil euros, sendo esta candidatura comparticipada a 90 por cento por Fundos Comunitários.

A candidatura tem como objetivo potenciar os recursos patrimoniais e criativos já existentes, capacitando-os com uma nova dinâmica e inovando na sua oferta integrada. Trabalhará no sentido de potenciar os recursos patrimoniais das aldeias, quer através da digitalização do património cultural, quer fazendo a sua ligação com o património natural, com a sua biodiversidade, numa lógica de desenvolvimento sustentável e sempre com uma base criativa na abordagem. A Rede Cultural e Criativa da Guarda trará uma nova dinâmica territorial, com o seu funcionamento em rede, numa lógica de cooperação que mantem e promove a identidade da comunidade local. Esta rede contará inicialmente com seis parceiros de projeto sendo constituída pelo Município da Guarda e pelas Juntas de Freguesia de Aldeia do Bispo, Aldeia Viçosa, Jarmelo São Pedro e Videmonte e ainda pela Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede das Aldeias de Montanha (ADIRAM). Pretende-se que mais parceiros venham a integrá-la, nomeadamente mais Juntas de Freguesia, que tenham núcleos museológicos ativos.