Município de Mangualde quer profissionalizar orquestra POEMa

O presidente da Câmara de Mangualde, Marco Almeida, quer transformar a POEMa numa orquestra profissional. O anúncio foi feito  durante a cerimónia de lançamento do primeiro CD para assinalar uma década do projeto do Município, do Conservatório de Música de Viseu, Dr. José Azeredo Perdigão e o Agrupamento de Escolas de Mangualde.

“Temos de dar o passo seguinte, que passa pela profissionalização. Reunimos duas condições: a Proviseu, da qual faz parte o Conservatório de Música de Viseu, e o Agrupamento de Escolas, acreditam neste projeto e, temos qualidade“, afirmou o autarca, sábado passado.

Marco Almeida reconhece que, tal como referiu o maestro Tiago Correia, a POEma, responsável pelo envolvimento de cerca de trezentos músicos ao longo de dez anos, “movimenta a economia, ao atrair gente para os espetáculos, e tem um forte potencial para fixar pessoas”.

O presidente do Município respondeu assim ao repto de Tiago Correia, maestro da POEMa desde a fundação, que sonha em dirigir uma orquestra profissional em Mangualde. “Estagnar não é opção, temos de ter os olhos no futuro”, afirmou.

Na cerimónia de lançamento do CD, José Carlos Sousa, diretor do Conservatório de Música de Viseu, sublinhou a importância das entidades oficiais neste projeto que, quando começou, em 2013, integrava apenas alunos que frequentavam o ensino articulado da música (CRMV/AEM) e elementos das bandas filarmónicas do concelho de Mangualde.

O projeto, rapidamente, cresceu, e foi alargado aos concelhos limítrofes, por forma a ser mais dinâmico e inclusivo. 

Atualmente é uma orquestra versátil, com grupos de música de câmara, big band, orquestra de cordas, banda sinfónica, orquestra clássica e orquestra sinfónica. Apresenta músicas do sec. XVII aos dias de hoje, de diferentes estilos:  erudito, jazz, world music e rock.