25 e Abril e Tributo a Adele marcam programação do Cineteatro Alba em Albergaria-a-Velha

A comemoração dos 50 anos do 25 de Abril em Albergaria-a-Velha é um dos momentos altos da programação do Cineteatro Alba para este novo trimestre, que inclui várias propostas na música, teatro e dança. 

Para celebrar os 50 anos de Democracia, sobe ao palco, na noite de 13 de abril, a peça “Revolution (título provisório)”, uma cocriação da ASTA, Baal17, d’Orfeu AC e O Teatrão, onde 16 intérpretes, entre atores e músicos, propõem uma sucessão de cenas e momentos musicais que desafiam o espectador a pensar no caminho que fizemos de 1974 até hoje. 

Na tarde de 21 de abril, a proposta é de cinema com “Salgueiro Maia: O Implicado”, uma longa metragem de Sérgio Graciano, e na noite de 24, Miguel Araújo regressa ao Cineteatro Alba com a sua digressão Casca de Noz. Em termos de exposições, vão estar patentes, a partir de 12 de abril, duas mostras fotográficas – “25 de Abril: Uma Revolução em Marcha”, do Centro de Documentação do 25 de Abril da Universidade de Coimbra e “Momentos de Abril”, do ator Vítor Valente.

Na música as propostas abarcam diferentes estilos. A 4 de maio, “Hello Adele Tribute” é uma criação inédita de homenagem à cantora britânica Adele, com a interpretação da artista franco-brasileira Stephanie Lie. No dia 10 de maio, o ciclo Tons Inteiros traz o pianista e compositor americano Dave Meder ao palco do Cineteatro Alba, acompanhado pelo Combo de Jazz do DeCA da Universidade de Aveiro, no âmbito do Campus Jazz.

No dia seguinte, a Companhia de Música Teatral apresenta, para um público infantil e familiar, “PaPI – opus 9”, uma viagem pelo mundo da água. Integrado no Festim – Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo, Omar Sosa & Seckou Keita, Suba Trio apresenta um diálogo instrumental com dinâmicas efervescentes e improvisações de Jazz, vindas diretamente de Cuba, Senegal e Venezuela; é na noite de 21 de junho.

O ciclo “O Movimento do Cinema”, iniciado em janeiro, continua nos próximos meses com mais quatro filmes realizados por portuguesas de diferentes gerações: “O que podem as palavras”, de Luísa Sequeira e Luísa Marinho (4 de abril); “Águas do Pastazo”, de Inês T. Alves (16 de maio); “No Táxi do Jack”, de Susana Nobre (13 de junho); e “Pelas Sombras”, de Catarina Mourão (18 de julho). Já a 5 de abril, a dança está em destaque com “CRUSH”, de Rafaela Sahyoun, com interpretação de Inês Galrão e Jules Pasteau.

Também na dança, mas a 15 de junho, o público pode apreciar “Orpheu: Caminho para Averno”, com coreografia de Pedro Ramos sobre o texto original de Hélia Correia.

Quanto ao ciclo ÀS QUINTAS, o Espaço Café-Concerto vai dar palco aos projetos musicais Amarela (2 de maio), Meu General – Coração Máquina Tour (27 de junho) e Espiral Baile Folk (25 de julho).

Na sua missão de promover a produção artística local, o Cineteatro Alba apresenta três espetáculos da art´J Escola Profissional de Artes Performativas da Jobra. A 18 de abril, “Jobra Late Night Show” propõe modernos e vanguardistas live setups com canções originais dos alunos. Já a 25 de maio, o Espetáculo Anual de Teatro da Jobra traz “Gil Vicente, pois!” ao palco da Sala Principal e, a 28 de junho, há JAZZ’ART com… Salvador Sobral.

Como equipamento credenciado na RTCP – Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses, o Cineteatro Alba apresenta, neste trimestre, vários espetáculos inseridos no plano de programação apoiado no âmbito desta rede. São estes – “Orpheu: Caminho para Averno” (coprodução e residência artística com a comunidade de dança local); CRUSH (residência artística e apoio a artistas emergentes locais), PaPI – Opus 9 (estratégias de mediação), bem como os ciclos “O Movimento do Cinema” e “Tons Inteiros” (Jazz).