APPACDM Viseu cria programa inovador para a integração laboral de licenciados com deficiência ou incapacidade

O Centro de Recursos para a Qualificação e Emprego da Associação de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Viseu criou o programa EMPODERA-TE++, dirigido a estudantes finalistas e a recém licenciados com deficiência ou incapacidade das instituições de ensino superior de Viseu.

O Centro de Recursos para a Qualificação e Emprego da APPACDM Viseu é, desde 2001, um serviço credenciado e financiado pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), dá informação, avalia, orienta, coloca e acompanha no emprego pessoas com deficiência e incapacidades inscritas no Centro de Emprego de Viseu.

Como refere Claúdia Melo, recentemente empossada como diretora do CRQE da APPACDM Viseu, “os resultados nos diferentes domínios de atuação do CRQE têm sido muito bons, graças ao trabalho incansável dos técnicos da instituição e do IEFP Viseu. Nos últimos anos, tem-se verificado mesmo um crescimento sustentável do nosso Centro de Recursos, incluindo o reforço de meios técnicos. O que contribui decisivamente para a inclusão e inserção laboral de pessoas com deficiência ou incapacidade na nossa Região. Com o EMPODERA-TE++ alarga-se o universo de atuação do CRQE da APPACDM Viseu aos jovens do ensino superior.”

As instituições de ensino superior, cada vez mais consciencializadas para a inclusão, têm vindo a instituir procedimentos e a disponibilizar recursos e serviços para apoiar os estudantes com deficiência e incapacidades no decorrer da sua formação académica. Porém, verifica-se algum vazio após os estudantes terminarem os seus percursos académicos. O que, num período sensível de entrada na vida ativa, pode potenciar o isolamento social e a passividade na procura ativa de emprego.

“Apenas pontualmente, de um modo avulso e com boa vontade, as instituições de ensino superior, tal como o nosso Centro de Recursos, têm realizado esforços personalizados de colocação e acompanhamento de finalistas com deficiência ou incapacidade.

Com o EMPODERA-TE++, a APPACDM Viseu quis ir mais longe. Lançou um serviço sistematizado e focado nesta problemática. Para o efeito, desafiou o Instituto Piaget de Viseu, o Instituto Politécnico de Viseu e a Universidade Católica – Centro Regional de Viseu. Parceiros que, prontamente, aceitaram o repto. À semelhança do IEFP Viseu, fundamental para a concretização do EMPODERA-TE++” salientou Claúdia Melo.

O EMPODERA-TE++ terá uma implementação descentralizada, sempre em proximidade com os estudantes finalistas e os recém-licenciados. O CRQE irá deslocar-se às instituições parceiras e ao IEPF para prestar todo o apoio, incluindo sessões de esclarecimento em grupo e em sessões individuais, com a família se necessário. Será realizada uma avaliação da capacidade de trabalho de acordo com o perfil dos beneficiários e um apoio à sua colocação. “O acompanhamento pós-colocação será fundamental, sobretudo ao início, para adaptação ao posto de trabalho e outras interações junto do empregador, p.e. o aconselhamento na eliminação de barreiras arquitetónicas.”

No ato de celebração do Protocolo para a criação do EMPODERA-TE++ os representantes do Instituto Piaget de Viseu, do Instituto Politécnico de Viseu e da Universidade Católica, a par do IEFP Viseu, foram unânimes em destacar a pertinência e a relevância do Programa. “A experiência da APPACDM Viseu no universo das pessoas com deficiência ou incapacidades, incluindo o seu Centro de Recursos para a Qualificação e Emprego, que atua precisamente na interface com o mundo do trabalho, é uma garantia de sucesso, colmatando convenientemente uma necessidade sentida.

Pedro Baila Antunes, Presidente da Instituição destacou “de facto, o EMPODERA-TE++, é mais um grande desafio da APPACDM Viseu – cremos mesmo que nestes moldes é precursor em Portugal -, que alargará a sua esfera de intervenção na sociedade, sempre em prol das pessoas com deficiência ou incapacidade, em consonância com a história da instituição, os seus recursos alargados e as suas competências.”