Hospital CUF Viseu cria Unidade dedicada à insuficiência cardíaca

Com o objetivo de prestar uma resposta cada vez mais diferenciada à população, o Hospital CUF Viseu criou a Unidade de Insuficiência Cardíaca, que conta com uma equipa dedicada e multidisciplinar envolvida no diagnóstico e tratamento desta doença, de forma a garantir uma resposta adequada às necessidades específicas dos doentes com insuficiência cardíaca. 

Considerada uma das epidemias do século XXI, a insuficiência cardíaca é uma doença muito prevalente na população, que ocorre “quando o coração não consegue bombear a quantidade de sangue suficiente para as necessidades do corpo”, explica Nuno Craveiro, Cardiologista e Coordenador da Unidade de Insuficiência Cardíaca do Hospital CUF Viseu. 

Dada a complexidade do diagnóstico e tratamento da insuficiência cardíaca “é fundamental o acompanhamento regular por uma equipa diferenciada e multidisciplinar para um correto diagnóstico e otimização do tratamento, pelo que a criação da Unidade de Insuficiência Cardíaca vai permitir garantir uma resposta adequada às necessidades específicas destes doentes e melhorar a sua qualidade de vida”, refere o médico. 

Nesta unidade multidisciplinar o doente é avaliado e acompanhado por uma equipa especializada e com experiência no seguimento desta patologia, constituída por especialistas em Cardiologia, com diferenciação na área, Medicina Interna, Medicina Geral e Familiar e outros profissionais de saúde, nomeadamente das áreas de Enfermagem, Psicologia e Nutrição, que asseguram o acompanhamento do doente em Consulta programada ou não programada, Hospital de Dia ou Internamento. Esta Unidade conta ainda com uma equipa na área da Imagiologia que assegura todas as necessidades diagnósticas, até as mais complexas, como a Ressonância Magnética Cardíaca e Angio-TAC Coronária.

Na presença de sintomas como “falta de ar, fadiga, pernas inchadas e tosse durante a noite, deve procurar atempadamente uma equipa especializada, porque quanto mais precoce o diagnóstico, melhor o prognóstico”, alerta o médico.